quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Literacia Digital Familiar - Um grande desafio


"Literacia Digital Familiar" foi o desafio que me foi proposto, no âmbito do Seminário Internacional: Family Literacy Works!, que decorreu em Braga, durante os dias 12, 14 e 15 de fevereiro de 2018.
E no âmbito do tema qual o papel que os professores podem ter. Na altura que me solicitaram o tema, defini-o em função da minha área de atuação, mas depois concluí que o tinha fechado demasiado, deveria ser a escola no sentido geral e não restrita aos “meus” os professores de informática.

Um desafio, que envolveu para mim. um enorme sentido de responsabilidade. Não por ser um tema completamente fora da minha “caixa”, pois, situa-se numa linha paralela do que tenho estudado, investigado, experimentado e implementado nos últimos anos, mas, porque exige uma linha de pensamento que relacione a família e a escola. 

Não foi tarefa fácil, pois, não a encarei com ligeireza, pois somos professores e também somos parte de família. Logo exige uma abordagem cuidada, como referiu Saramago “É preciso sair da ilha para ver a ilha. Não nos vemos se não saímos de nós.” Digamos que uma constipaçãozita pela Carnaval, ajudou a focar-me, já que andar por aí não ajudava.

Comecei por fazer pesquisas, muitas pesquisas e concluí que recorrendo à expressão “Literacia Digital Familiar” que são poucos os estudos e artigos existentes. Ou falta o termo “Família” ou falta o termo “Digital”. Há alguns, mas que se referem mais à utilização de dispositivos, acesso à internet e afins, mas nem tanto de carácter qualitativo, no qual se inclua esta relação. Uma área para investigar. 

Convoquei então os dados qualitativos dos tais estudos sobre acesso e utilização dos dispositivos, pois, não podemos afirmar situações, se os dados não o evidenciam. Isto para chegar ao GAP no âmbito das Literacias Digitais entre as várias gerações.

Aqui, optei por propor alguns dilemas, que concordando ou não fazem "faísca" para pensar, questionar e nos inquietam… colocado situações da vida real, do dia a dia da família, com situações paralelas em ambientes digitais. 

Em meu entender, qual a responsabilidade da escola neste âmbito. O que temos e o que está acontecer, com tendência a aumentar. Selecionei algumas atividades, aqui sim, de professores de informática, pois são os que represento. Algumas atividades informativas, colaborativas e/ou partilhadas. Entre elas dos professores do Agrupamento de Escolas da Batalha, Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha e Agrupamento de Escolas D. Sancho II, em Alijo.

A questão é que são práticas esporádicas, inquietou-me de que forma podemos torna-las mais sistemáticas. 
 Fica a dica e a apresentação.