quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Mapas de conceitos em contexto pedagógico

Os mapas de conceitos, na educação, têm a sua origem no movimento da teoria da aprendizagem significativa de Ausubel, mas foram usados pela primeira vez por Joseph D. Novak, em 1960, para quem o mapa conceptual pode ser simultaneamente:
  • um recurso de auto-aprendizagem ao dispor dos alunos ( e não só); 
  • um método para encontrar e explicitar significado para os materiais de estudo; 
  • uma estratégia que estimula a organização dos materiais de estudo. 
No que refere às aplicações digitais também há algumas que pela forma gráfica como nos apresentam os resultados, assumem ter como objetivo construir mapas de conceitos.
Segundo Novak e Cañas, Mapas Conceituais são ferramentas gráficas que visam organizar e representar o conhecimento. São uma representação gráfica em duas ou mais dimensões de um conjunto de conceitos construídos de tal forma que as relações, entre eles, sejam evidentes.

Ora, há alguns anos fiz um mapa de conceitos com ligações às aplicações digitais que uso, nas quais construí algum recurso ou experimentei no âmbito de um projeto, hoje muito incompleto pela falta de tempo para o atualizar.
O meu mapa de aplicações digitais, elaborado em mindomo, pode ser consultado em baixo, demonstra uma ideia de mapa de conceitos apresentada graficamente.

Mas as aplicações digitais para construir mapas de conceitos podem ser integradas em contexto educativo como instrumento pedagógico, utilizando conceitos, imagens, vídeo, ficheiros, links/urls, notas, enfim é uma forma agradável de organizar informação, em qualquer disciplina, sobre qualquer tema pertinente. 

Este ano o tema agregador das Bibliotecas Escolares também é o Mapa de Conceitos.

Fontes de informação:

Junto o meu PLE em formato de Mapa de Conceitos elaborado na ferramenta Mindomo.
Make your own mind maps with Mindomo.