sexta-feira, 11 de abril de 2014

A propósito do triângulo de Wang - Pedagogia, Interação Social e Tecnologia

A primeira vez que citei este triângulo, foi no artigo "Conectando Mundos numa viagem virtual" que elaborei para submeter à conferência Challenges 2009, em Braga, na Universidade do Minho, na qual apresentei uma comunicação sobre um projeto internacional, citei-o também na minha tese de mestrado.

Hoje, continuo a cita-lo, porque na sua simplicidade diz quase tudo, mas também, porque se na altura a interação social se referia mais à dimensão presencial e trabalho em grupo ou então a pequenas comunidades maioritariamente fechadas, que se iam criando no âmbito do desenvolvimento dos projetos com os restantes países/ escolas intervenientes, hoje com as redes sociais, a dimensão da interação social, ganhou um espaço imenso nos ambientes de ensino e aprendizagem.



Ao ler os relatórios das formações encontro frases e referências que me enchem a alma e me dão força para continuar o percurso que tenho trilhado, com as tecnologias, recheando-as de empenho e trabalho.  
"Agradou-me a imagem do triângulo, apresentada por um dos comunicadores, situando em cada um dos vértices os conteúdos, a pedagogia e as tecnologias. A arte está em cada docente saber construir o triângulo que melhor se adapta à sua realidade específica."
In Relatório da formação de Isabel Raminhos.
Para além desta referência não resisto a citar mais uma frase, que considero sensata e poderosa neste relatório.
"Devemos beneficiar do avanço da tecnologia, das descobertas que ocorrem continuamente, colocando-as ao serviço do ato educativo, numa perspetiva de inovação.
Como dizia o poeta “o Mundo pula e avança como bola colorida entre as mãos de uma criança”. A sociedade evolui, as tecnologias existem para nos ajudar a desempenhar, de uma forma mais eficiente, a nobre função de ensinar."
Não se consigo encontrar melhores palavras, do que esta comparação das tecnologias à bola colorida nas mãos da criança, extrato de um poema do poeta "Sebastião da Gama" que aprendi a admirar por terras do Sado e às palavras de uma colega já com longo percurso nesta arte do ensino e aprendizagem.  
Obrigado Isabel.