sábado, 16 de março de 2013

Techspeak or not techspeak

Esta infografia tenta mostra mostra como a a forma de escrever na Internet tem influenciado a forma de escrever dos alunos.

 attribution to OnlineCollege.org with this graphic.

Does Texting Hurt Your Grammar?



A Internet reflete-se na reorganização das nossas vidas, no modo como comunicamos e como aprendemos. A sua importância é tão marcante que Castells (2004) a compara, ao nível de impacto, a galáxia de Gutenberg, expressão criada por McLuhan (1962) para caracterizar o efeito da criação da imprensa por Gutenberg, propondo, por analogia, à Galáxia Internet.

Segundo Monereo (2005) as competências sociocognitivas são cada vez mais valorizadas e podem ser também desenvolvidas através da Internet. Assim, o importante é o entendimento mútuo entre pessoas, fundamental para a construção do conhecimento que emerge da interação em ambientes colaborativos na Web, implica que a comunicação seja compreensiva, confiável e apropriada a um contexto social.

A questão que se coloca será “se os indivíduos que formam um grupo ou uma comunidade falam/escrevem segundo a mesma linguagem, mesmo sendo abreviada ou com símbolos, sendo esta a forma como conseguem comunicar/interagir entre si” terá a mesma validade quando nos propomos a analisar o discurso das interações online desse grupo?

Interessa, também salientar que a comunicação online, mediada por ambientes digitais apresenta algumas diferenças relativamente à comunicação presencial que se baseia, apenas na fala. No online esta questão é um pouco mais complexa, embora predomine o texto, já se emprega o uso efetivo de fala e do visual. Os processos mais simples do uso da videoconferência, via dispositivos já muito comuns como a tecnologia Skype, acabam por trazer à interação online esta variante tão própria da comunicação humana, fazendo também que a sala de aula/ambiente virtual se assemelhe ao ambiente real, algo que Castells (2004) designa de “cultura da virtualidade real”.

Deste modo, aos textos para analise do discurso online, juntar-se-ão os atos da fala e da imagem, possibilitando a análise de uma vasta gama dos atos de comunicação não-verbal (corpórea). Este cenário, aproxima mais as interações online das reais e também traz mais complexidade à análise do discurso.

Sendo de acrescentar, ainda, os dois aspetos mais referidos até agora nas discussões sobre a análise do discurso online. O primeiro, diz respeito ao uso de ambientes digitais diversos (fóruns, blogues, wikis, redes socais, LMS, etc) e de natureza diferenciada, convidando à utilização de diferentes estilos linguísticos. Nos quais ainda podemos separar os ambientes digitais pelas que permitem uma comunicação em tempo síncrono ou assíncrono, ou seja, as categorias de análise de um chat serão diferentes das de um fórum.

O segundo aspeto, diz respeito às múltiplas situações contextuais comunicativas que o online permite. Poderemos então concluir que o online apresenta uma complexidade acrescida no âmbito da comunicação/interação (de um para um a todos para todos), em tempos e lugares multifacetados: utilizando a expressão de e-learning, teríamos como propõe Keegan (2002), toda uma série de situações do e-learning ao m-learning, contemplando também situações de d-learning e b-learning.

O que nos leva a inferir que a dificuldade em categorizar os atos de comunicação online, surge pela variedade e a complexidade dos elementos que pode incluir.

As categorias têm a grande vantagem de estabelecer um quadro analítico dos elementos e tipo de forças em presença (quais são os intervenientes principais? qual o regime de comunicação? há um domínio dos atos de comunicação por alguém ou oportunidades de uma participação autêntica entre os diversos intervenientes? etc…), mas por outro lado simplificam em demasia a realidade o ato de comunicar, não dando atenção às componentes intencionais, contextuais e comunicativos inerentes à interação.

Perspetiva da linguística aplicada à Internet 


Os impactos da linguística da Internet podem ser observados no dia a dia e na influência dos estilos do discurso escrito e falado usados na Internet. Novos estilos e formatos de linguagem sob a influência da Internet e outros media, como o SMS (Short Message Service) têm permitido uma comunicação instantânea e aumentado a comunicação escrita. A sociolinguística aborda estes fenómenos em diversas dimensões, entre os quais o multilinguismo, a coexistência de várias línguas na Internet (por ex: a Wikipedia, disponibilizada em várias línguas, os vários sistemas de tradução online, etc.), ou as mudanças da língua, com algumas roturas da língua standard, a nível de pontuação, conversão de maiúsculas em minúsculas, e a utilização universal de alguns códigos (emoticons, abreviaturas...).

continue a ler na viki: Análise do discurso online

algumas pesquisas aqui no livebinder



Referências Bibliográficas

Castells, M. (2004). A Galáxia Internet. Lisboa: Fundacao Calouste Gulbenkian.

Monereo, C. (2005). Internet, un espacio idoneo para desarollar las competencias basicas. In C. Monereo (coord.), Internet y competências básicas.Aprender a colaborar, a comunicarse, a participar, a aprender.

Barcelona: Grao, pp. 5-26.Keegan, D. (2002).The future of learning: From eLearning to mLearning. Projeto submetido à União Europeia (programa Leonardo da Vinci). Disponível em: http://learning.ericsson.net/mlearning2/project_one/index.html, acesso em 30 de junho de 2012.